terça-feira, 30 de agosto de 2016

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO

Srs não é preciso dizer do tanto do sofrimento que o acidente de trabalho traz para o trabalhador que vai de mutilações até mesmo a perder a vida e agora imagine as consequências quando essa família se ver sem seu provedor de tudo que assisti o seu lar.

COMENTO:
Fato é que a cultura dos acidentados no Brasil ficam mesmo a  mercê do DEUS DARÁ frente as adversidades do mundo que para muitos a boa morte teria sido mais negócio pois recorrer a quem?
1. A empresa:
Na quase totalidade gente sejamos franco é quem primeiro que pula fora pois não racicionam com a prevenção com o que tem mais de sagrado e patrimônio na sua empresa inclusive a razão de sua existência seu empregado.

2. Empregado:
A grande maioria são relaxados consigo mesmo com sua própria segurança ou por ignorância mesmo pessoal ou por falta de uma forte politica de QSMA - Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente.

3. Estado
Não tem recurso para amparar os acidentados e o pior é sabido que falta presença constante de fiscais nessas industrias, obras, comercio e mais triste sabe-se que muitos desses agentes fiscalizadores pegam uma ponta do dono da empresa fiscalizada se alinhando a pratica de corrupção que tornou-se comum no Brasil ainda não erradicada.

AMIGOS PENSO EU QUE AS ESTATITISTICAS DE ACIDENTES ESTÃO EM CURVAS CRESCENTES POR DESCASO DE UM DESSES TRES VETORES QUE INTRISICAMENTE LIGADOS É QUE GERAM A CONDIÇÃO E/OU PRATICA INSEGURA PARA A EXISTENCIA DO ACIDENTE. É NESSA ANALISE QUE VAMOS NA PRATICA DIRETA AO ASSUNTO DE QUEM CONHECE DE PERTO E CONVIVE COM A SITUAÇĀO.

TEM EMPRESA ATÉ QUE OS DONOS TEM A BOA VONTADE DE AJUDAR ATÉ AJUDAM O ACIDENTADO MAS LOGO PULAM FORA VISTO AS RECORRENTES DESPESAS DE ASSISTIREM SEU COLABORADOR NÃO PODEM BANCAR ESSAS DESPESAS TOTAIS  PASSANDO ESSA RESPONSABILIDADE AO ESTADO.

É COMUM NAS EMPRESAS CLARO NÃO TODAS JÁ EXISTE EMPRESAS QUE TRATAM E APOIAM SEUS COLABORADORES NO QUE TEM DE MELHOR DE QSMA PORÉM A GRANDE MAIORIA NÃO ASSISTEM SEUS COLABORADORES EM QUASE NADA VEJAMOS COMO ACONTECE NA PRATICA:



CASO EMPRESAS:
- Não distribuem a todos seus colaboradores os seus EPIs e/ou EPCs básicos.


- As condiçőes de higienização consequentemente politicas frentamento como PCMSO,  PPRA, PCMAT, PGR entre outras só existem no papel e 5S = Sim Utilização, Sim a Ordenação, Sim a Limpeza, Sim a Saúde e Sim a Autodisciplina está longe de acontecer é  na pratica a empresa operando num ambiente que não se consegue destinguir de um sucatão ou mesmo um lixão.

- Total inobservância das instalações elétricas referencia da NBR 5410, falta de malha de aterramento em referencia a NBR 5419 com ausência do SPDA - Sistema de Proteção contra Descarga Atmosférica. 

- Maquinas e operadores da mesma sem observarem a NR 12.

- Colaboradores em desvio de função fazendo serviços de eletricista sem a formação do curso de eletricidade básica sem a capacitação da NR 10 e até mesmo SEP 10.

- Gente uma denuncia é que muita empresa se omite até mesmo da elaboração da CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho.

- Entre outros descasos que cada leitor reflita com sua empresa.



CASO COLABORADOR
-Quase totalidade não desenvolveu ao longo dos anos de seu trabalho a atitude da Percepção do Risco. Não sabem destinguir PERIGO DE RISCO e não tendo formado a percepção do risco acabam-se acidentando.
OBS:
Perigo: Entender como a propriedade ou condição inerente ou atividade capaz causar danos às pessoas, às propriedades ou ao meio ambiente.
Ex: Presença da tensão elétrica na tomada.

Risco: É o potencial de ocorrência de consequência indesejável decorrente da realização de uma atividade.
Ex: Choque elétrico por contato indevido a tensão na tomada ou fio desencapado energizado dessa tomada.

Danos:
Desse choque elétrico a consequência pode ser uma morte por eletrocussão, Queimadura até um incêndio entre outros.

- DEFENDO EU A POSIÇÃO QUE O PROFISSIONAL COM A PERCEPÇÃO DE RISCO ATIVA ANDA ANTENADO, SABE E ESTÁ INFORMADO DOS PERIGOS INERENTES A ATATIVIDADE QUE ESTÁ EXECUTANDO E NÃO CORRERÁ O RISCO DE SE ACIDENTAR E NEM POR EM RISCO DE ACIDENTE SEU PARCEIRO, MAQUINA E MEIO AMBIENTE.



CASO ESTADO:
É triste orgãos como o DRT / CREA / E AFINS até que se manifestam para fiscalizar mas estão quase sempre sem recursos de gente, viaturas e material e equipamentos para fiscalização permanente. E infelizmente ainda no meio desse caldeirão de dificuldades uma fez por outra sabe-se que passa irregularidades não apontadas por fiscais que se vendem as empresas infratoras fato que é elucidado tristemente quando na investigação dos grandes sinistros.



PAPEL DO SESMT
Srs o PAPEL DO SESMT que inclui todos aqui destaco o TS de Segurança e Engenheiro de Segurança do Trabalho é muito sensível pois teem um contrato de trabalho firmado com a empresa cliente e ao mesmo tempo é o AGENTE INTERPRETADOR DA LEGISLAÇÃO, MONITORAÇÃO DE SUA APLICAÇÃO E POR EXCELENCIA UM EDUCADOR para formação do que eu pessoalmente já descrevi como PERCEPÇÃO DO RISCO.

O cenário que aconselho os colegas do SESMT é o comportamento do bom senso, imparcialidade e principalmente discernimento de suas atitudes. Tenho e venho defendendo e a cada dia que passo é que o QSMA que absorve as SIGLAS como SESMT E/OU SMS estejam no organograma da empresa como assessores do  CEO e não fiquem subordinadas a nenhuma direção da empresa e como assistente do CEO podem promover politicas de QSMA mais consistentes.




Fortaleza CE, 30 de agosto de 2016

Eng° José Vilmar Pinto de Sousa
Consultor SÊNIOR / ELETROMECÂNICA / QSMA
Engenheiro Mecânico
Engenheiro de Segurança do Trabalho
Engenheiro de Controle e Automação Industrial
CREA 8365 Registro Nacional: 060460684-2
E-mail: engjosevilmar@hotmail.com
http://www.engjosevilmar9.wix.com/eletromecanica-qsma
http://engjosevilmar.blogspot.com.br/
https://br.linkedin.com/in/josé-vilmar-92400435
Skype: engjosevilmar
Cel.: 85 999475695

Postar um comentário